Follow Us emedelu

segunda-feira, 18 de julho de 2022

Guerra e Paz

julho 18, 2022 0 Comments

 


Todos os esforços deverão ser empreendidos pelos seres humanos, para extinguir, em definitivo, a guerra. 

Poderá ser pela diplomacia, que abençoa os entendimentos por meio do diálogo, ou através da educação popular.


Pela educação, as criaturas poderão ver todos os inconvenientes das atrocidades da guerra, seja em razão do que for.

Vivemos a fase em que a Humanidade deve exercitar a razão com todos os seus componentes, trabalhando na esfera da paz.

As escolas, os templos religiosos, os lares, as empresas trabalharão para a paz. 

Para isso, todas as baterias de providências estarão voltadas para a educação do indivíduo, de cuja intimidade provêm os delitos, se ele está enfermo, ou todas as luzes, se avança para maior equilíbrio.

Ao se refletir na guerra, pensa-se que tudo estará concluído e solucionados todos os problemas, quando sejam assinados os tratados de paz.

Poucos se dão conta dos desdobramentos da trágica experiência, durante e depois dela.

Nas guerras, não morrem somente os que tombam nos campos de batalha ou são devorados por explosões de quaisquer tipos. 

Também morre, no abismo da dor, um número ilimitado de pais e de mães, que recebem objetos de uso pessoal e condecorações póstumas dos seus filhos.

Morrem esposas vencidas pela saudade e pela solidão, após receberem as documentações que honram os seus companheiros desencarnados.

Morrem na revolta, na mágoa, no desejo de vingança contra a sociedade, multidões de filhos levados à orfandade, tendo os nomes dos seus pais glorificados no altar frio dos mausoléus dos heróis, que as pátrias lhes constroem, como se isso fosse resolver o drama das dores morais dos seres marcados pela guerra.

E o saldo dos mutilados físicos? 

Dos mutilados mentais, assinalados por neuroses e psicoses que retornam para os seus lares e para as ruas, muitos deles se envolvendo na violência, no crime, nos vícios e no infortúnio?

* * *

Ao pensarmos sobre a monstruosidade da guerra, apareça onde aparecer, apoiada no motivo que for, reflitamos nas consequências dessa tragédia para a Humanidade inteira e refreemos nosso entusiasmo.

Jesus, o herói da sepultura vazia, nos conclamou para a paz. 

Ele afirmou que os mansos herdariam a Terra e os pacíficos seriam chamados filhos de Deus.

Envolvidos em nossos afazeres, estudando, trabalhando, falando ou realizando qualquer atividade, sejamos instrumentos da paz, permitindo que o suave ensino do mestre Galileu ilumine a nossa intimidade, iluminando os que vivem e convivem conosco.

* * *

O homem que possui a paz, não é apenas o homem de face serena. Antes é o homem de bem, o que trabalha incessantemente no dever.

Assim, adquirir paz não é somente estar com a consciência tranquila, porém, mais do que isso, é trabalhar pela edificação da paz alheia, permanecendo em tranquilidade.


Redação do Momento Espírita, com base no cap. 16, do livro
Vozes do Infinito, por Espíritos diversos, psicografia de Raul Teixeira,
ed. Fráter e nos versos do item 23, mês de setembro, do livro Poemas
de paz, pelo Espírito Simbá, psicografia de Divaldo Pereira Franco, ed.
Leal.
Em 17.5.2013.

ÊTA MUNDO MALUCO

julho 18, 2022 0 Comments


Eu estou falando muito

E não é da boca pra fora,

O que vou dizer agora

Pode até lhe assustar.


O mundo está endoidando,

E o povo na carreira

Deixemos de brincadeira,

Vamos a vida enfrentar!


Há quem chore todo dia,

Por um pedaço de pão

E outro que tem à mão,

Os pães de uma padaria.


Há aqueles que blasfemam

E alguns que nada fazem,

Outros que se satisfazem

Com farinha e água fria.


Cansaço, briga, acoite,

Pra todo lado um balaço

Voltam às leis do cangaço,

Ninguém sabe o que fazer.


O tempo passando rápido

E muita gente nem vendo,

Outros - malucos - devendo,

Correndo pra se esconder.


Estamos perdendo o rumo,

A dignidade e os direitos

Mostrando só os defeitos,

E a degradação sem fim.


E quando o bem aparece

É modesto e escondido,

Temendo ser engolido

Pela turma de Caim.


Há doenças tenebrosas,

Ódio e desigualdades

Pelos campos e cidades,

Pessoas morrem de fome.


Viram simples passageiros

De uma estrada sem fim,

Vítimas de gente ruim

Feito chaga que consome.


Leis, decretos, portarias

Acordos bilaterais

Existem, porém, jamais

Há perfeita execução.


Interesses partidários

Uma política doente,

Indigna, indiferente

Matando o cidadão.


Falta pão e falta teto

Educação e saúde,

Ignora-se a virtude

Da solidariedade.


Os poderosos cruéis

Tornam-se inconsequentes

Rios de sangue, enchentes

Gritante perversidade.


E milhões de sofredores

Num eterno vai e volta,

Tristeza, fome, revolta

Parecendo cães sem dono.


Crianças violentadas

Idosos são extorquidos,

Maltratados, esquecidos

Em um total abandono.


Senhor Pai do Universo

Pleno de amor e bondade,

Envia, por caridade,

Uma luz aos filhos Teus!


Restabelece no adulto,

A pureza da criança

Vivifica a esperança,

A fé e a paz, Senhor Deus!

***

Maria do Socorro Domingos

João Pessoa, 22/05/2016

Mariamaria JPessoa Pb
Enviado por Mariamaria JPessoa Pb em 22/05/2016
Código do texto: T5643575
Classificação de conteúdo: seguro

sábado, 5 de fevereiro de 2022

Foi me negado o direito de tomar a 3ªdose da vacina

fevereiro 05, 2022 0 Comments


 Pois é!

Quanto vale a vida de um ser humano hoje, levando em conta tantos abusos que presenciamos e nada podemos fazer.


Pois que cada um que cuide de si e dos seus essa na minha modesta opinião é a regra.


Mas vamos aos fatos.


Tomei a primeira e segunda dose da vacina em outro estado BRASILEIRO.


Não foi em outro país, foi aqui mesmo, no Brasil. Nesse gigante adormecido que parece terra de ninguem dos velhos faroestes.


Só que eu mudei de estado. As forças das circunstancias me obrigaram a mudar de cidade e de estado. Por causa da pandemia, fiquei sem condições de trabalho e em outras palavras fechei as portas de uma empresa com mais de 25 anos no mercado.


A minha última alternativa era pedir ajuda a minha familia, já que tenho um filho especial. Caso fosse acometida pela covid o que seria do meu filho.


Pois bem vim pra cá.


As mesas lotadas de vacinas e eu choramingando o meu direto de tomar a 3ª dose simplesmente porque tomei a primeira e a segunda dose em outro estado.


Saí de casa embaixo de um sol escaldante pra chegar no local e receber um NÃO.


PORQUE TENHO QUE IR NA SECRETÁRIA DA SAUDE COM RG CPF COMPROVANTE DE RESIDENCIA PARA ADQUIRIR ESSE DIREITO.


Quer dizer, a trouxa aqui não tem o que fazer.


Além de ter que se expor ao virus andando pra lá e pra cá, se pegar a doença já era. AFINAL JÁ TENHO 70 ANOS.


SE MORRER É UM A MENOS. SEMPRE VIVI ÁS MINHAS CUSTAS. NUNCA TOMEI UM COMPRIMIDO ÁS CUSTAS DO ESTADO OU DE NINGUEM.


HOJE PRECISO DA VACINA, CADÊ. 


TENHO QUE MENDIGAR.


Gente que situação.


Falei tudo isso lá. Disseram que é ordem do GOVERNO DO CEARÁ.


FAZER O QUE.


AGORA TENHO QUE ENFRENTAR O SOL ESCALDANTE, IR ATÉ A SECRETÁRIA DA SAUDE, BATER PERNA FEITO IDIOTA, ENFRENTAR FILA, ME EXPOR AO VIRUS, DEPOIS VOLTAR AO LOCAL QUANDO TIVER NOVAMENTE A 3ª DOSE, E ATÉ LÁ SEJA O QUE DEUS QUISER.


É ISSO OU FICAR SEM A VACINA.

quinta-feira, 6 de agosto de 2020

A Massa

agosto 06, 2020 0 Comments



A dor da gente é dor de menino acanhado
Menino-bezerro pisado, no curral do mundo a penar
Que salta aos olhos, igual a um gemido calado
A sombra do mal-assombrado é a dor de nem poder chorar

Moinho de homens que nem jerimuns amassados
Mansos meninos domados, massa de medos iguais
Amassando a massa, a mão que amassa a comida
Esculpe, modela e castiga a massa dos homens normais

Quando eu lembro da massa da mandioca mãe 
Quando eu lembro da massa da mandioca mãe 
Quando eu lembro da massa da mandioca mãe 
Quando eu lembro da massa da mandioca mãe 

Quando eu lembro da massa da mandioca mãe 
When I remember of "massa" of manioc 
Quando eu lembro da massa da mandioca mãe 
Nunca mais me fizeram aquela presença, mãe 
Da massa que planta a mandioca, mãe 
A massa que eu falo é a que passa fome, mãe 
A massa que planta a mandioca, mãe 
Quand je me souviens da la masse du manioc, mère 
Quand je rappele de la masse du manioc, mère 
Quando eu lembro da massa da mandioca mãe 
Quando eu lembro da massa da mandioca mãe 
Quando eu lembro da massa da mandioca mãe 
Quando eu lembro da massa da mandioca mãe 

Lelé, meu amor lelé, no cabo da minha enxada, não conheço "coroné"!
No cabo da minha enxada, não conheço "coroné"!
Eu quero, mas não quero (camarão), mulher minha na função (camarão)
Que está livre de um abraço, mas não está de um beliscão!
Torna a repetir meu amor: (ai, ai, ai!)
Torna a repetir meu amor: (ai, ai, ai!)
É que o guarda civil não quer a roupa no quarador!
O guarda civil não quer a roupa no quarador!
Meu Deus onde vai parar, parar essa massa!
Meu Deus onde vai rolar, rolar essa massa!

Composição: Raimundo Sodré / Jorge Portugal

segunda-feira, 2 de março de 2020

Carnaval 2020 da Cidade de São Paulo

março 02, 2020 2 Comments

Pra iniciar a minha postagem: Nota 1000 pra Prefeitura de São Paulo.
Nota 1000 para todos os blocos que animaram toda a cidade.
Não podemos deixar de reconhecer o esforço da Prefeitura para nos proporcionar o melhor nesses dias inesquecíveis que deixarão saudades.
Enquanto alguns canais de TV mostram o pior do carnaval, vamos reconhecer que o carnaval não tem nada a ver com a violência que ronda o nosso país.
A violência existe de domingo a domingo nos 365 dias do ano.
Então, ninguém é idiota para engolir tudo o que esses canais de TV publicam.
Pessoalmente estive em diversos bairros da cidade. Principalmente na Praça da Republica, Ibirapuera e Pinheiros.
Milhares de pessoas e a Prefeitura não têm culpa se acontece anormalidades.
Gente ruim e perversa existe em todos os lugares, elas simplesmente aproveitam as ocasiões para colocar em prática os seus instintos satânicos.
Vamos reconhecer que a Prefeitura não mediu esforços para proporcionar aos foliões o melhor em matéria de segurança e limpeza.
Eram centenas de banheiros espalhados pela cidade. O que não faltou foram policiais rondando por todos os lugares, catadores de lixo, atendimento médico, ambulâncias, bombeiros, oportunidades de trabalhos para tantas pessoas que estão desempregadas e etc e etc.
Vamos combinar que nem mesmo Cristo agradou a muita gente.
Nem sou politica e nem religiosa, sou povo. Que esteve em diversos blocos de carnaval na cidade de São Paulo e simplesmente adorei.
Também vi muitas pessoas usando drogas, mas sabem onde existe muitos usuários de drogas a céu aberto? 
Na cracolândia durante os 365 dias do ano.
Inclusive deviam ir até lá, evangelizar aqueles pobres coitados que perderam a noção de tudo nessa vida, principalmente de que são seres humanos.
Falar mal do carnaval de São Paulo é matéria de quem não tem o que fazer, ou tem, só que dá muito trabalho.
Obrigada a Prefeitura de São Paulo. Pelo pré carnaval e pelos quatro dias de pura alegria. E pela oportunidade de trabalho que também tivemos.
E até o próximo ano, se tivermos a oportunidade de passar por todas as coisas que nos acontece diariamente.


***



Imagem de Artturi Mäntysaari por Pixabay

terça-feira, 10 de setembro de 2019

Centro da Cidade de São Paulo

setembro 10, 2019 4 Comments
Quem conheceu a Praça da Republica de outrora e quem conheceu a av. São João e proximidades sabe que estou falando de um dos mais lindos cartão postal da cidade de São Paulo.

Sempre quando passo por ali lembro da musica de Caetano Veloso.
E quem não lembra?

Alguma coisa acontece no meu coração
Que só quando cruza a Ipiranga e a avenida São João
É que quando eu cheguei por aqui eu nada entendi
Da dura poesia concreta de tuas esquinas

Existem pessoas nesse mundo que nasceram com espirito de destruição. É o que deduzi hoje ao passar pelo centro da cidade de São Paulo e ver roupas velhas rasgadas pelo chão, cobertores estendidos em lugares onde não deveriam está, montanhas de lixo a céu aberto, calçadas encardidas com cheiro de urina e eu pensei comigo:

O que estão fazendo com a minha querida cidade amiga e acolhedora é de cortar o coração.

Reparei também que o pessoal que cuida do lixo cumprem com seu trabalho.

Varrem o lixo, recolhem e colocam nos sacos novamente. Mas, em meia hora o lixão está exposto novamente deixando a céu aberto resto de comida. 

E lixo já sabe o que atrai:

Ratos, pombos, mosquitos, baratas e tudo quanto é ruim que prejudica a nossa saúde.

Creio eu que São Paulo está passando por uma grande provação.
Volto a afirmar que o centro da cidade de São Paulo está de cortar o coração.

Nunca vi tanta sujeira
Nunca vi tanta imundície

Muito triste a realidade de pessoas que batalharam uma vida para obter uma casa própria e no final ter que conviver com uma situação tão complicada.

A razão da minha postagem não é chamar atenção dos garis. Eu os vejo constantemente juntando a lixaiada que se espalha a céu aberto.

É que realmente me senti muito triste. 
Até a próxima com mais postagem sobre o lixão.

quarta-feira, 4 de setembro de 2019

Oração do Padre Cícero

setembro 04, 2019 1 Comments


Justo Juiz de Nazareth, filho da virgem Maria,que em Belém fostes nascido entre as idolatras, eu vós peço Senhor pelo vosso sexto dia ,e pelo amor do meu Padrinho Cícero que  meu corpo, não seja preso, nem ferido , nem morto, nem nas mãos da justiça envolto.
Pax tecum,Pax tecum ,Pax tecum. Cristo assim disse aos seus discípulos

Se os meus inimigos vierem para me prender , terão olhos não me verão, terão ouvidos mas não me ouvirão, terão boca e não falarão.
Com as armas de São Jorge serei armado, com a espada de Abrão serei coberto; com o leite da virgem Maria serei borrifado na arca de Noé serei arrecadado, com as chaves de São Pedro serei fechado: aonde não me possam ver  nem ferir, nem matar, nem sangue do meu corpo tirar.
Também vos peço Senhor, por aqueles três cálice Bento por aqueles três padres revestidos, por aquelas três hóstias  consagradas ,que  consagrastes  ao terceiro dia , desde as portas de Belém até Jerusalém.
E pelo meu Santo Juazeiro  que com prazer e alegria eu seja também guardado tanto de noite ,como de dia .
Assim como andou Jesus no ventre da virgem Maria 
Deus adiante , paz na guia ;
Deus me dê a companhia que deu sempre a virgem Maria, desde a casa Santa de Belém até Jerusalém.
Deus é o Pai  na Senhora das Dores minha mãe.
Como a espada de São Thiago,serei guardado para sempre amém.

sábado, 27 de abril de 2019

Amor e Respeito - Braulio Bessa

abril 27, 2019 0 Comments
Imagem de Gerd Altmann por Pixabay 




Seja menos preconceito, seja mais amor no peito

Seja Amor, seje muito mais amor.

E se mesmo assim for difícil ser

Não precisa ser perfeito

Se não der pra ser amor que seja pelo menos respeito.

Há quem nasceu pra julgar

É há quem nasceu pra amar

E é tão difícil entender em qual lado a gente está

Que o lado certo é amar!

Amar pra respeitar

Amar para tolerar

Amar para compreender,

Que ninguém tem o dever de ser igual a você!

O amor meu povo,

O amor é a própria cura, remédio pra qualquer mal.

Cura o amado e quem ama

O diferente e o igual

Talvez seja essa a verdade

Que é pela a anormalidade que todo amor é normal.

Não é estranho ser negro, o estranho é ser racista.

Não é estranho ser pobre, o estranho é ser eletista.

O índio não é estranho, estranho é o desmatamento.

Estranho é ser rico em grana, e pobre em sentimento.

Não é estranho ser gay, estranho é ser homofóbico.

Nem meu sotaque é estranho, estranho é ser xenofobico.

Meu corpo não é estranho, estranho é a escravidão que aprisiona seus olhos na grade de um padrão.

Minha fé não é estranha, estranho é a acusação, que acusa inclusive quem não tem religião.

O mundo sim é estranho, com tanta diversidade

Ainda não aprendeu a viver em igualdade.

Entender que nós estamos

Percorrendo a mesma estrada.

Pretos, brancos, coloridos

Em uma só caminhada

Não carece divisão por raça, religião

Nem por sotaque

Oxente!

Sejam homem ou mulher

Você só é o que é

Por também ser diferente.

Por isso minha poesia, que sai aqui do meu peito

Diz aqui que a diferença nunca foi nenhum defeito.

Eu reforço esse clamor:

Se não der pra ser amor, que seja ao menos respeito!